Paraíso do Tuiuti expõe golpe e apresenta Temer “vampiro neoliberal”

Com fantasias de "paneleiros", escola de samba ironizou os manifestantes que pediram o impeachment de Dilma Rousseff





Léo Morais, o "vampiro neoliberalista", em clara alusão a Michel Temer. Foto: Reprodução Youtube

“Meu Deus! Meu Deus!
Seu eu chorar não leve a mal
Pela luz do candeeiro
Liberte o cativeiro social

Não sou escravo de nenhum senhor
Meu Paraíso é meu bastião
Meu Tuiuti o quilombo da favela
É sentinela da libertação”

Com esse refrão, a Paraíso do Tuiuti fez um desfile histórico no grupo especial das escolas de samba do carnaval do Rio de Janeiro. Com um enredo recheado de crítica política e social, a escola que teve origem no Morro do Tuiuti, no bairro de São Cristóvão, expôs ao mundo o golpe no Brasil.

Quarta escola a se apresentar no primeiro dia de desfile, a Paraíso do Tuiuti entrou na Sapucaí por volta de 1h30 desta segunda (12) trazendo a reflexão em seu samba-enredo “Meu Deus, meu Deus, está extinta a escravidão?”, do carnavalesco Jack Vasconcelos.

Em alusão aos 130 anos da abolição da escravatura, o enredo  fez o resgate das condições precárias de vida da população negra e pobre do Brasil e apontou as mazelas dos dias atuais com a destruição dos direitos trabalhistas e sociais e que significam o atual cativeiro social.

Alas lembraram o trabalho informal em uma crítica à reforma trabalhista aprovada pelo presidente Michel Temer. Pelo sambódromo desfilaram foliões fantasiados de “carteiras de trabalho”, patos da Federação da Indústria do Estado de São Paulo (FIESP) e os “manifestoches”, que ironizavam os manifestantes verde e amarelos que batiam panela pedindo o impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff.

Ala “Manifestoches” ironizou os paneleiros que pediram o impeachment de Dilma. Foto: Reprodução Youtube

O auge do desfile foi o último carro alegórico da escola, com representantes do grande capital, os batedores de panelas, médicos que foram contra o ‘Mais Médicos’ e uma representação de Temer, batizado de “vampiro neoliberalista”, vivido por Léo Morais, professor de história da comunidade.

Todo o desfile foi transmitido com visível constrangimento de narradores e comentaristas da Rede Globo de Televisão. “O vampirão está com uma faixa presidencial”, disse o comentarista Milton Cunha ao perceber a alusão à Temer, enquanto Alex Escobar apenas deu uma risada. Já a apresentadora Fátima Bernardes, que narrava o desfile, acrescentou “vampiro neoliberal”.

A passagem da escola do bairro São Cristóvão foi um dos assuntos mais comentado por internautas nas redes sociais. A palavra “Tuiuti” apareceu no topo dos Trending Topics, assuntos mais comentados do Twitter. Para muitos, o desfile serviu para lavar a alma dos brasileiros e expor para o mundo o golpe em curso desde o impeachment de Dilma Rousseff.

Para os carnavalescos da Paraíso da Tuiuti, o samba-enredo e o desfile representaram um grito de resistência. “Esse enredo foi pensado no povo”, conclui Jack Vasconcelos.

Confira o desfile completo da Paraíso do Tuiuti.